Quarta-feira, 16 de Dezembro de 2009

O Pedro Lomba acha que o que aqui escrevi é dedicado a ele. Confesso não ter percebido bem se chegou a essa conclusão por ele próprio ou se lhe foi “soprado”.  Dos muitos homens e mulheres que poderiam encaixar na minha “desonesta” teoria, eu teria de me lembrar obrigatoriamente do grande, do incontornável Pedro Lomba. Quem mais poderia ser? Mais, ele acha que o seu retrato está lá em linhas fortes. Eu cá não gostava de me identificar com o que escrevi mas ele lá sabe. 

O Lomba queria que eu o identificasse. Aqui temos um pequeno problema. apesar de eu dever saber que devia obedecer ao Lomba, tenho a mania de só obedecer a quem me apetece. Às tantas o Lomba queria que eu lhe dedicasse um artigo ou, quem sabe, um programa de televisão. Tenho pena mas já tenho a agenda preenchida. Pode ser que o correr dos anos lhe faça bem – não está a correr nada bem mas tenho esperança – e eu me dê ao trabalho de analisar, não da maneira que ele fala dos outros, claro está, a personalidade do rapaz.    
 
O Lomba também queria que eu seguisse as convenções – as dele, que são óbvias, podia lá ser de outra maneira – sobre polémicas. Cá vamos nós outra vez. Falha minha.
 
O Lomba diz que eu tenho um estilo “recadista”. Mais, diz que esse estilo em mim é uma constante. Esperava, confesso, uma longa lista reveladora desse estilo. Não deveria ser difícil: escrevo semanalmente para dois jornais, escrevo quase todos os dias neste blog e participo num programa de televisão e noutro de rádio todas as santas semanas – dou-lhe de barato as intervenções esporádicas noutros espaços. Mas, não, ao Lomba bastam-lhe dois artigos. Para cúmulo do azar fala do Pacheco Pereira que cito abundantemente em todos os espaços já referidos. É muito azar mesmo.

 

Ah, ia-me esquecendo. Parece que quem manda nos meios de informação onde trabalho gosta daquilo a que chamas estilo recadista. Mas, nós sabemos porquê, não é? As minhas posições agradam aos poderosos e aos maus governantes – definição com  trade mark Lomba. Vai daí, essa malandragem mete-me em todo o lado e eu rapaz obediente, mal preparado e bronco (esta, ofereço-ta) faço tudo para lhes agradar.
 
O Lomba sabe bem que as minhas opiniões caem bem no círculo dos medíocres e prevaricadores. As coisas que ele sabe. O Lomba não só sabe quem são aqueles malandros – e como sabe de fonte seguríssima quem eles são, denuncia-os – como sabe que eles gostam de mim. É mesmo muito bom, o Lomba.
 
Pena que o Lomba esteja manifestamente confuso. Fica muito indignado – ele parece ser um rapaz muito dado à indignação, presumo que seja por ter passado a sua vida inteira a lutar contra os que lhe querem tirar a sua liberdade de expressão – com o meu texto e depois diz que não demonstro nada. E, desta forma, também me conseguiu confundir. Então eu não demonstrei nada e depois diz que a minha posição é  das posições mais reaccionárias sobre a liberdade de expressão?
 
Eu gostava imenso de polemizar com o Lomba apesar de temer as suas imbatíveis capacidades, a sua imensa preparação, o seu conhecimento vastíssimo sobre as problemáticas da liberdade de imprensa, a sua inigualável sabedoria sobre o estilo “recadista” e a sua enormíssima experiência de vida – responsabilidades familiares, empresas, cargos públicos, viagens etc etc etc.
Para ele seria fácil. Além de eu não fazer ideia nenhuma do que ando para aí a dizer, de não estar preparado, de ser frágil (presumo que se esteja a referir às minhas capacidades intelectuais), de ser um ignorante – a dada altura chega à conclusão que afinal sei aquilo que pretendo, mas deve ter sido engano –, não sei as regras dum debate.
 
Era engraçado discutir a problemática da relação entre poder politico e investimentos em publicidade (quando escrevi sobre o assunto o Lomba devia estar distraído); sobre o que é batalha política e ofensas pessoais; o que são factos conhecidos, noticiados ou demonstráveis sobre os quais se emitem opiniões; o que são argumentos políticos e ataques à personalidade; as estratégias de condicionamento de opinião; o que é jornalismo e o que é opinião.  
 
De toda a forma não me parece que o magnífico, o puro, o homem que sabe quem são os maus e os bons, o homem que sabe a quem se deve agradar e a quem se deve desagradar, o homem que sabe o que é a liberdade de expressão, esteja disposto a discutir com alguém que ele acha um covarde desonesto. Confesso, também não quero conversas com um deslumbrado armado ao pingarelho.

 



publicado por Pedro Marques Lopes às 01:33 | link do post | comentar

Bernardo Pires de Lima

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Livros
- Blair, a Moral e o Poder

Jornais / Revistas
- DN
- The Majalla Magazine

Academia
- IPRI
Pedro Marques Lopes

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Rádio
TSF
- Bloco Central

Jornais
- A Verdade
- DN
Lei da bola

Televisão
- Eixo do Mal
- Produções Fictícias
Francisco Proença de Carvalho

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Televisão
Económico TV
- Conselho Consultivo - 3ªs, 9.30h,

Rádio
Rádio Europa
- Descubra as Diferenças

Outros Blogs
- 31 da Armada
Francisco Teixeira

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Jornal
- Diário Económico

Academia
- ISCSP
posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds