Quinta-feira, 11 de Março de 2010

Razões de Estado podem levar um Presidente a não criticar outros Estados, usando a linguagem do cinismo de Estado. Mas o próprio do cinismo é ser um exercício inteligente. Quando burro, revela ainda mais a iniquidade de certas razões de Estado.



publicado por Pedro Marques Lopes às 18:13 | link do post | comentar

Um tipo criticar Israel, é para muitos de esquerda. Um tipo criticar o Sócrates, significa que é de direita. Um gajo embirrar com o Cavaco, só pode mesmo ser de esquerda.  Um tipo não levar a sério as propostas comunistas e bloquistas, significa que é de direita. Um tipo votar sim pela despenalização voluntária da gravidez, significa que é de esquerda. Um tipo ser defensor da NATO, é de certeza um direitista armado em imperialista. Se for defensor da UE, é um esquerdista, ainda por cima federalista. Se gostar das duas, então, é um ser incurável. Se gostar do Luís Amado, só pode ser é um socrático da pior espécie. Se não gostar de golden shares, é um liberal antecedido de neo, logo, da direita que cheira mal. Um tipo gostar que todos os clubes portugueses, excepto o seu, percam sempre nas competições europeias, é um anti-patriota. Um tipo não gostar que digam mal do seu país quando anda lá por fora, é um nacionalista com bolor. A lista tem pernas para continuar nos próximos dias.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 09:44 | link do post

Quarta-feira, 10 de Março de 2010

Entretanto, num país chamado Portugal, o governo pode finalmente executar as suas políticas com um orçamento aprovado. Isto, cinco meses depois de ter sido eleito.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:41 | link do post

O Iraque entrou no processo mais complicado depois de assegurar os mínimos de segurança: o político. Depois de os sunitas terem boicotado as eleições de 2005, entregaram-se ao processo eleitoral em 2010 de corpo e alma. A resposta? Um segundo nível de desbaathização - depois do dramático que Paul Bremer ajudou a fomentar em 2003 e que destruiu forças armadas, polícia e guarda nacional - que veio impedir a candidatura de 500 sunitas em listas partidárias. Ou seja, a tensão entre xiitas e sunitas continua bem viva e pode vir a ser o real motivo para o maior problema que o Iraque vai enfrentar nos próximos cinco, seis meses: a formação de um governo, necessariamente de coligação, saído destas eleições. A demora política coincidirá com o começo da retirada das tropas americanas, reduzidas em cerca de 50% a partir de Agosto. Por outras palavras, tudo pode não ter passado de uma oportunidade para que o Iraque viesse a ser um exemplo de país que se levantou do chão num tão curto espaço de tempo. Mais: este período lento de formação de governo exasperará potências externas (EUA, Irão, Turquia) que tenderão a pressionar acordos políticos que lhes sejam favoráveis a médio prazo. E assim se pode ter perdido uma série de argumentos que honrassem todos os milhares que morreram em nome de um projecto radical de alteração do status quo regional. Mereciam certamente muito mais do que isto.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:29 | link do post

Hoje, na Edição Internacional da Renascença, fala-se das eleições no Iraque, desafios de curto-prazo e ainda da ida de Joe Biden a Israel. É às 23.30h. 



publicado por Bernardo Pires de Lima às 19:02 | link do post



publicado por Bernardo Pires de Lima às 16:19 | link do post

Terça-feira, 9 de Março de 2010

Portugal tem dificuldade em fabricar gente normal. Homens e mulheres simples, com vidas rotineiras e hábitos à partida tão banais que contagiam de felicidade quem os tem. Em Portugal só nascem iluminados transformados em agitadores da genialidade quando nem chegaram à idade adulta. Bom, quando lá chegam, tenham medo, tenham muito medo do que dali pode sair. Portugal é um país que se contenta com mitos: o mito da grandeza, o mito da língua, o mito da genialidade. Nunca há gente simples; só mentes brilhantes capazes de tudo para orientar o nosso caminho, sem nunca terem a coragem de sujar os calções - se eu estou a falar no Néné, por favor, lavem-me esta boca com sabão macaco. A genialidade é um peso que carregam. Um estorvo que partilham com os demais. Uma poção mágica que bebem e que os faz querer ser Obélixes a toda a hora. Nunca se apercebem do ridículo que é o auto-retrato: nem toda a gente tem o talento de comer javalis às pazadas. A genialidade não é para todos, muito menos para quem assim se considera. É crescer e aparecer, meus caros.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:19 | link do post

Segunda-feira, 8 de Março de 2010

 

Sem bombas, a percentagem de votantes nas últimas legislativas em Portugal foi de 59,74%.

Com bombas, a percentagem de votantes nas últimas legislativas no Iraque foi de 62,4%.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 16:49 | link do post

Nada como um momento Carlos Castro para alegrar uma tarde cinzenta.



publicado por Pedro Marques Lopes às 15:45 | link do post | comentar

"O país não compreenderá que o Presidente não é responsável pelo desgoverno quando se manteve em silêncio durante três anos."

"Cada vez que Cavaco fala sentimos um mau hálito político do lado de cá da televisão"

Morais Sarmento terá um sabor amargo na boca quando dobrar em quatro o boletim de voto para votar em Cavaco Silva.


Pois é, agora entendo Pacheco Pereira quando ele dizia que havia sectores no PSD que não estavam interessados na reeleição de Cavaco Silva



publicado por Pedro Marques Lopes às 11:40 | link do post | comentar

Domingo, 7 de Março de 2010

Não me chateia rigorosamente nada ver gente a falar de coisas que não viveu. Muitas dessas coisas, aliás, permitem a um espectador fora duma dada realidade ter uma visão mais fria, mais pensada até.

Por erro meu, provavelmente, não consigo ter conversas sobre como educar filhos com gente que nunca os teve. Poucas coisas me irritam mais que discursos cheios de sabedoria - na maior parte dos casos apenas soberba - sobre se devo ou não deixar sair os meus filhos à noite, se eles devem ir à ginástica ou à musica, se os devo mandar para a cama às 10h ou às 11h.

Um filho é a única coisa que realmente muda a nossa vida. O único corte definitivo e radical. Ninguém fica igual depois de ter um filho.

Tenham lá os vossos e depois falamos.



publicado por Pedro Marques Lopes às 22:04 | link do post | comentar

 

Gamado ao Francisco Mendes da Silva



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:44 | link do post | comentar



publicado por Bernardo Pires de Lima às 17:34 | link do post

 

 



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:02 | link do post

O agravamento da situação económica, com mais empresas a fa-lir e as que conseguirem sobrevi-ver a despedir pessoas, não parece ser coisa que preocupe os sindicatos da função pública. O texto da convocatória da greve poderia ter uma versão aproximada do ditado "com o mal dos outros podemos nós bem". Ou então: "Trabalhadores da função pública, uni-vos. Os outros que se lixem."

 

DN de hoje



publicado por Pedro Marques Lopes às 10:47 | link do post | comentar

Sábado, 6 de Março de 2010

Quando isto dos blogs rebentou em Portugal não se falava de outra coisa. Havia quem estivesse a favor, a maioria estava certamente contra. O Iraque era o tema marcante a dividir campos ideológicos e políticos, esquerdas e direitas, indignados e teimosos, deslumbrados e convictos.

Sete anos depois, não há um polegar, um indicador ou um mindinho que seja em risco de ter cãibras por teclar uma ou duas linhas sobre o tema. O Iraque deixou a blogosfera portuguesa em paz e a maioria das notícias internacionais. É verdade, há diferenças que certamente justificam o desinteresse e desprezo lusitano: o Bush e a matilha que o acompanhava já não existe, as coisas acalmaram e em muitos sentidos melhoraram a partir de 2007, e as tropas internacionais estão com data marcada para regressar a casa. Not so fast. As melhorias conquistadas podem não se aguentar no tempo se o terrorismo voltar, o conflito religioso permanecer e os iraquianos não conseguirem garantir nas ruas a segurança diária e nas instituições a cooperação política. De facto, tudo pode não ter passado de um breve intervalo de alguma esperança para o Iraque. A blogosfera portuguesa, felizmente, tem coisas mais sérias com que se preocupar.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 19:41 | link do post

 

Down in Albion (2005)

Babyshambles

 



publicado por Bernardo Pires de Lima às 13:10 | link do post | comentar

Sexta-feira, 5 de Março de 2010

Os desafios no Iraque após as eleições de Domingo e a oportunidade dos EUA na região. (aqui)



publicado por Bernardo Pires de Lima às 14:35 | link do post

 

É um país de identidades particulares, de múltiplas sobreposições, das quais Obama é uma surpreendente personificação. Ele não é um afro-americano, é um americano-africano, por causa do Havai. É uma espécie de alien no corpo político anglo-saxónico.

 

Excerto da entrevista que fiz a Simon Schama para o i. Um senhor historiador e um conversador como poucos.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:27 | link do post

Quinta-feira, 4 de Março de 2010

Rangel diz que Passos Coelho é um clone de Sócrates. Aguiar-Branco diz que Rangel é um upgrade de Guterres. Fico sem perceber porque existe um PS e um PSD se há assim tantas acusações de plágio.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:52 | link do post



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:38 | link do post

Pode um país aspirar a entrar na União Europeia quando vive sob o cutelo de um golpe de Estado? A resposta é negativa. Pode um país viver num permanente sobressalto entre as esferas militar e política e afirmar-se no espaço euro- -atlântico? A resposta é também negativa. Beneficia esse país de um ambiente atractivo para o investimento estrangeiro que o redimensione na sua área de influência? Tenho as maiores dúvidas. A Turquia é um país extraordinário. Faz parte da história da Europa, do Médio Oriente e deseja ser uma potência influente nos destinos destes "dois mundos". Sabe perfeitamente que, se for capaz de influenciar o arco entre o Egipto e o Irão, será preponderante em Washington, Bruxelas, Moscovo e Pequim.

 

Ancara vive, porém, na síndrome da lei interna das forças armadas que lhe confere um papel permanente de guardiães da secularidade da república. É aqui que reside o imperativo histórico interpretado pelos militares contra todos os que se atravessam no legado de Ataturk: o AKP no governo e na presidência. A recente detenção de militares envolvidos na preparação de um golpe de Estado, em 2003, contra o governo eleito de Erdogan, diz-nos que há um problema por resolver e que expressamente passa por hierarquizar os poderes militar e político na ordem constitucional interna. Sem isto, a Turquia até pode fechar os dossiês todos com a União que ninguém lhe entrega as chaves da porta da frente. Continua quase tudo nas suas mãos.
 

Hoje no i



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:49 | link do post

O desespero é mau conselheiro.

A histeria dá muito nas vistas.



publicado por Pedro Marques Lopes às 12:39 | link do post | comentar

Quarta-feira, 3 de Março de 2010

Hoje, na Renascença, falamos do Iraque a quatro dias das eleições e da acusação vinda da justiça espanhola sobre as ligações entre a ETA e as FARC sob patrocínio de Chávez. É, como todas as semanas, às 23.30h.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 18:59 | link do post

Terça-feira, 2 de Março de 2010

Anda um gajo todo fodido por perder alguém com quem cresceu e partilhou dos melhores anos da sua vida e de repente pedem-nos que nos pronunciemos sobre um assunto qualquer de merda que não merece mais uma vez qualquer perda de tempo da minha parte. Eu vou tentar dizer o que já aqui disse em tempos, talvez agora por outras palavras: não dá para ter opinião sobre tudo; não dá para acompanhar todas as maravilhas diárias da pátria; não dá para dedicar mais de dez minutos por dia aos blogs; não dá para ocupar o meu já pequeno cérebro com tanta tramóia e rebaldaria política e noticiosa. Há, certamente, imensa gente com vontade e talento para isso. Eu não sou um deles.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:55 | link do post



publicado por Pedro Marques Lopes às 23:16 | link do post | comentar

Bernardo Pires de Lima

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Livros
- Blair, a Moral e o Poder

Jornais / Revistas
- DN
- The Majalla Magazine

Academia
- IPRI
Pedro Marques Lopes

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Rádio
TSF
- Bloco Central

Jornais
- A Verdade
- DN
Lei da bola

Televisão
- Eixo do Mal
- Produções Fictícias
Francisco Proença de Carvalho

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Televisão
Económico TV
- Conselho Consultivo - 3ªs, 9.30h,

Rádio
Rádio Europa
- Descubra as Diferenças

Outros Blogs
- 31 da Armada
Francisco Teixeira

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Jornal
- Diário Económico

Academia
- ISCSP
posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds