Quinta-feira, 30 de Junho de 2011

Com negociação financeira na mesa e a Grécia a ferro e fogo, a Polónia pode ter aquilo que tem faltado a outras presidências rotativas: europeísmo, influência, uma economia a crescer e um governo liberal bem cotado. Até parece que estamos a descrever a Alemanha.

 

Hoje no Diário de Notícias



publicado por Bernardo Pires de Lima às 11:04 | link do post

Quarta-feira, 29 de Junho de 2011

De pé a bater palmas ao Pedro Mexia



publicado por Pedro Marques Lopes às 20:08 | link do post | comentar

Este Governo começou bem. Tendo em conta o que aconteceu em anteriores governos (do PS e do PSD), o que submeteu a votos é, no essencial, o que agora apresenta no seu Programa.

Este é o Governo com melhores condições de governabilidade dos últimos tempos: tem uma maioria sólida; não mentiu na campanha e, desse modo, tem um programa com total legitimidade democrática; o país está de rastos e, portanto, “o que tem de ser tem mesmo que ser”; tem um programa base da troika que foi aprovadíssimo pelos partidos responsáveis e com larga maioria na assembleia; a esquerda radical foi quase esmagada nas eleições; e, com relevância para alguns, o 1.º Ministro viaja em classe turística.

Perante estas condições, estou convencido que se não fizermos o que temos a fazer para revolucionar o país nos primeiros dois anos desta legislatura, então estaremos mesmo destinados a ser uns desgraçadinhos.

Posto isto, aprovado o Programa de Governo esta semana, já só falta fazer...tudo! E é bom que o façam rápido, antes que o tempo, os escândalos do Correio da Manhã, as corporações, os donos do Estado, façam esquecer as condições únicas que este Governo tem para mudar Portugal... Para melhor, espera-se!



publicado por Francisco Proença de Carvalho às 12:55 | link do post | comentar

A imprensa servil que reinventa o passado só pecou por defeito.  



publicado por Francisco Teixeira às 12:04 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Terça-feira, 28 de Junho de 2011

Há três características que um candidato às primárias republicanas não pode ter se as quiser ganhar: ser gay, muçulmano e ter servido a Administração Obama.

 

Hoje no Diário de Notícias



publicado por Bernardo Pires de Lima às 13:52 | link do post

Eu ficaria mais satisfeito que o 1.º Ministro tivesse vetado Bairrão, pelo simples facto de o Governo não ter nomeado o Prof. Marcelo como porta-voz. As novidades do Executivo não devem ser conhecidas através dos comentários de domingo.



publicado por Francisco Proença de Carvalho às 12:32 | link do post | comentar

Enquanto não conseguires descobrir o que foi uma imprensa servil toma uns Kompensans pela manhã. Depois liga a torneira e toma uns banhos frios. É como o défice, com o tempo vais ver que passa.



publicado por Francisco Teixeira às 11:29 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Acabo de ouvir um interessantíssimo programa sobre os problemas de obesidade dos cães e dos gatos. O tema é mais vasto, segundo os intervenientes do debate existe um problema de excesso de peso na generalidade dos animais de companhia. Apesar do tema obesidade ser uma das minhas várias fontes de preocupação não me correram lágrimas pelos olhos abaixo. Confesso, ligeiramente embaraçado, que o colestrol canino, os trigliceridos felinos ou o ácido úrico hamsteriano não me tira o sono.

 


O resto está aqui



publicado por Pedro Marques Lopes às 10:32 | link do post

Segunda-feira, 27 de Junho de 2011

Afinal, António José Seguro admite mais austeridade, caso os números da execução orçamental Jan. -Mar. que o INE divulga amanhã contrariem o optimismo dos dados divulgados pela DGO. Creio que o futuro líder do PS já percebeu que entre a contabilidade pública divulgada ainda pelo Governo de Sócrates e a contabilidade nacional que será divulgada pelo INE (que inclui todos os compromissos assumidos e não apenas os que foram pagos) existe uma substancial diferença. 



publicado por Francisco Teixeira às 22:13 | link do post | comentar

Bernardo Bairrão podia ser secretário de Estado de um Governo que traçou entre as primeiras prioridades a privatização da RTP? Podia mas faria, logo de início, o que fez Jorge Lacão com a redução de deputados - metia a viola no saco. Já para não falar do afastamento de Moura Guedes da TVI que Bairrão consumou e que tantas críticas mereceu do PSD... Quanto ao resto, meu caro Pedro , poder pode e é só uma questão de ler o DE amanhã...

 



publicado por Francisco Teixeira às 21:55 | link do post | comentar

O DE e o Expresso dizem que Passos Coelho vetou Bernardo Bairrão por causa das suas posições sobre a privatização da RTP. Com as devidas desculpas (sobretudo ao camarada Francisco), não acredito. Mal estavamos se um PM deixava que se convidasse um secretário de Estado sem o seu conhecimento e consentimento.



publicado por Pedro Marques Lopes às 19:45 | link do post

Tem dado, como é do conhecimento geral, um resultadão.



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:48 | link do post

 

Acabou-se o sofá. Agora é só na mesinha redonda...



publicado por Francisco Teixeira às 14:54 | link do post | comentar

Em Outubro, António José Seguro, na versão sensata, dizia que "os portugueses estão fartos de fazer sacrifícios sem ver resultados". Este fim-de-semana, AJS na versão candidato diz que não são precisos novos sacrifícios. Será a sua primeira derrota. E perderá pela evidência dos números.



publicado por Francisco Teixeira às 09:50 | link do post | comentar

Domingo, 26 de Junho de 2011

Calhou estar de visita ao Pentágono no último dia de Donald Rumsfeld em funções e ao Congresso quando Robert Gates foi confirmado no seu lugar. Nos briefings e conversas que tive, fiquei com nítida sensação que Rumsfeld marcara uma era incómoda e que Gates vinha repor credibilidade: George W. Bush era o sétimo presidente que iria servir. Quase cinco anos depois, o Pentágono muda novamente de mãos em tempos não menos críticos.

 

Ontem no Diário de Notícias



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:45 | link do post



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:02 | link do post

Parece que ter cartão de um partido deixou de ser curriculum para passar a ser cadastro.

 

 

DN de hoje



publicado por Pedro Marques Lopes às 06:51 | link do post

Sexta-feira, 24 de Junho de 2011


publicado por Pedro Marques Lopes às 17:11 | link do post

Quinta-feira, 23 de Junho de 2011

O Afeganistão não se reduz ao número de tropas: é um entroncamento regional de grandes potências demasiado precário para ficar desamparado. Washington leva nesta frente mais anos de combate do que os travados na I e II Guerras juntas. Mas, ao contrário destas, não haverá agora nem vencedores nem derrotados. Ainda vamos ver tropas americanas por muitos anos no Afeganistão.

 

Hoje no Diário de Notícias



publicado por Bernardo Pires de Lima às 13:35 | link do post

Quarta-feira, 22 de Junho de 2011

Meu caro amigo, concordo em quase tudo contigo, mas o diabo está nos detalhes. Há anos que digo que os políticos deveriam receber o que recebem lá fora. Não no mundo, na vida para lá da política (os que nunca saíram dela devem ganhar o que ganham). Os vencimentos deveriam reproduzir a média dos últimos quatro IRS (uma legislatura). Mas só há uma forma de tudo mudar: um candidato a Presidente, para um segundo mandato, decide abrir o debate, patrocina-o mas desde que a alteração se aplique depois de abandonar a política activa. Agora, a virtude de compreender o tempo implica o que implicou no último Orçamento: Passos Coelho obrigou Sócrates a introduzir um corte salarial nos salários dos políticos, cumprindo o princípio aplicado a quem na função pública ganha mais de 1.500 euros. Tive pena que a medida tivesse que ser tomada porque tive e tenho pena de viver num país em pré-bancarrota. Mas aplaudi-a. General que é general não fica no quartel. Desce à terra e cheira o pó que quem combate cheira. Se nos próximos dois anos o PM vai cortar a torto e a direito para nos meter direitos, o exemplo tem sempre de vir de cima.



publicado por Francisco Teixeira às 21:36 | link do post | comentar

Caro Francisco, para sinais, confesso, preferia uns parecidos com esses dos medicamentos (com pouca eficácia, como todos sabemos) e das pensões do que não viajar em executiva. Gostos.   

Agora, mais a sério. Este tipo de medidas além de não terem qualquer tipo de relevância económica voltam-se sempre contra quem as aplica. É que nunca são consistentes. Não tarda vamos ter pedidos populares do género dos que aqui abaixo enunciei. Vai uma apostinha de que daqui a uns meses, quando as coisas apertarem, ainda vamos ouvir falar do Falcon? E, já agora, ficará no Íbis lá do sitio ou num cinco estrelas?

Se o meu PM não viaja em executiva, quem deve viajar nessa classe? Se o meu PM não deve ficar num 5 estrelas, quem deverá ficar?

Depois, convém não esquecer que o cargo de Primeiro-Ministro não é propriamente semelhante ao de director duma empresa qualquer, exige dignidade institucional e um conjunto de prerrogativas ligadas não só às funções de representação mas, sobretudo, ao carácter único da função. Eu quero que o meu PM viaje no melhor lugar possível para que possa ir trabalhando e não seja incomodado por outras pessoas, quero que chegue o mais descansado possível a reuniões sempre importantes, quero – já que ganha miseravelmente – que possa, ao menos, ter algumas benesses paralelas que o façam ser mais produtivo.

Já vimos demasiadas vezes estas tonterias de executivas e coisas que tais. Não querem dizer rigorosamente nada. Para o meu PM o melhor, também exijo o melhor dele.

Entretanto, vou esperando propostas do género:”os ministros vão passar a vestir na Rua dos Fanqueiros e a almoçar na tasca da Ti Gertrudes”. Mas aí é diferente, o povo não os vê nem no Rosa e Teixeira, nem no Gambrinus.

Como dizia o outro: não me emprenhem pelos ouvidos.



publicado por Pedro Marques Lopes às 21:13 | link do post

Discordo de ti, Pedro. Sócrates no discurso de tomada de posse deu um sinal: medicamentos sem receita médica passariam a ser vendidos fora das farmácias para acabar com um monopólio injustificado. O país aplaudiu. Muito bem. Quando Sócrates decidiu aumentar a idade da reforma para tornar a Segurança Social sustentável, "O Independente" e o "Expresso" contaram ao país que Luís Campos e Cunha e Mário Lino acumulavam pensões com os salários de ministro. Sócrates acabou com a acumulação. O país aplaudiu. Muito bem. Passos Coelho vai passar os próximos dois anos a "fazer sangue", a arrumar a casa e é natural que as dificuldades que muitos já passam aumentem e que muitos outros passem a sentir dificuldades. Hoje deu como sinal que deixará de viajar, na Europa, em primeira classe (uma proposta anunciada no plano de austeridade de Maio, creio). O país só pode aplaudir. Muito bem.



publicado por Francisco Teixeira às 19:49 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Parece que o Primeiro-Ministro resolveu ir de económica para a Cimeira Europeia. Espero pela renúncia ao motorista, ao carro do Estado e aos assessores e secretárias pessoais. Já que se está com a mão na massa vendia-se a residência oficial de São Bento e alugava-se um escritório em Marvila. Nada de cozinhas e cozinheiros na dita residência, quem quisesse comer que trouxesse a marmita.

Não me lixem com sinais.



publicado por Pedro Marques Lopes às 19:45 | link do post

Antevejo manif da senhora eurodeputada e dos homens da luta à porta do conselho europeu de amanhã. É o primeiro acto oficial de Portas no estrangeiro. Quem diz disparates cá dentro só pode ser consequente lá fora.



publicado por Francisco Teixeira às 18:46 | link do post | comentar

Terça-feira, 21 de Junho de 2011




publicado por Pedro Marques Lopes às 18:33 | link do post

Salvar a Grécia é salvar o euro e salvar o euro é salvar esta União Europeia. E pode não existir outra. É tão simples como isto.

 

Hoje no Diário de Notícias



publicado por Bernardo Pires de Lima às 14:38 | link do post

Esqueçamos o acessório (Fernando Nobre) e concentremo-nos no essencial (na relação PSD-CDS). Hoje do Parlamento saiu o sinal inequívoco que contraria até os mais crentes: a relação de Passos Coelho e Paulo Portas terá uma tensão e uma desconfiança permanentes que, esperemos, nunca ultrapassarão o razoável. Portas tentará sempre mostrar a Passos como é determinante e decisivo para o PSD levar a água ao moinho. Passos tentará sempre recordar a Portas que vale, apenas, 30% do Governo. O presidente da AMI foi um mero objecto deste primeiro acto. O que conta são os próximos quatro anos e os resultados que Passos e Portas alcançarão.



publicado por Francisco Teixeira às 00:23 | link do post | comentar

Domingo, 19 de Junho de 2011



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:58 | link do post



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:26 | link do post

Sábado, 18 de Junho de 2011



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:24 | link do post

Bernardo Pires de Lima

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Livros
- Blair, a Moral e o Poder

Jornais / Revistas
- DN
- The Majalla Magazine

Academia
- IPRI
Pedro Marques Lopes

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Rádio
TSF
- Bloco Central

Jornais
- A Verdade
- DN
Lei da bola

Televisão
- Eixo do Mal
- Produções Fictícias
Francisco Proença de Carvalho

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Televisão
Económico TV
- Conselho Consultivo - 3ªs, 9.30h,

Rádio
Rádio Europa
- Descubra as Diferenças

Outros Blogs
- 31 da Armada
Francisco Teixeira

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Jornal
- Diário Económico

Academia
- ISCSP
posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds