Quinta-feira, 16 de Fevereiro de 2012

Esqueçamos a política do Governo. Esqueçamos tudo o que o Governo fez no primeiro semestre em funções. Esqueçamos o país que PSD e CDS herdaram. As facturas. As exigências da troika. A turbulência do euro. Esqueçamos tudo isso. É sério o PS dizer que o aumento preocupante do desemprego entre Setembro e Dezembro se deve a um Governo que tomou posse no final de Junho?



publicado por Francisco Teixeira às 15:05 | link do post | comentar

10 comentários:
De André Salgado a 16 de Fevereiro de 2012 às 22:10
You are missing the point: é tão sério, se quisermos colocar assim a questão, como os partidos do actual governo, então na oposição, responsabilizarem o anterior governo pelos números crescentes de desemprego num contexto de crise, onde por muitas piruetas de um governo quisesse dar não poderiam deixar de aumentar. É o que se chama ossos do ofício de quem está em funções e se não há estofo, que se fique em casa.

But you are missing the point, em, aliás, 3 pontos:

1. Ir além da troika, remember?
2. Se o governo não é responsabilizável pelos indicadores por só estar em funções há 7 meses, exactamente a partir de quando é que passa a sê-lo?
3. Os números estão a ser bastante piores do que o governo previa (salvo erro, 13,4 para 2012 e já estamos com 14 no final de 2011 and counting...). Há um falhanço de previsão e isto, politicamente, paga-se.


De Francisco Teixeira a 17 de Fevereiro de 2012 às 08:32
Eu vendo carros e tu compras-me um. Com gasolina para um metro. A bomba fica a 100 quilómetros. De quem é a culpa? Por ti, é tua porque estas ao volante....


De Francisco Teixeira a 17 de Fevereiro de 2012 às 08:33
Apaguei a frase: ficaste sem gasolina.


De André Salgado a 17 de Fevereiro de 2012 às 10:19
Eu vendo carros e tu compras-me um. Eu aviso-te que só tem gasolina para um metro e que a bomba fica a 100 quilómetros. Tu dizes-me que tens tudo estudado e previsto e que tens forma de ir até mais além. Ficaste sem gasolina. De quem é a culpa? Por ti, é minha, que te vendi o carro.


De Francisco Teixeira a 17 de Fevereiro de 2012 às 10:36
Mais além? O governo tem feito o oposto, basta ver as previsões: mais desemprego, menos crescimento, mais empobrecimento. Este desemprego é resultado do governo anterior


De André Salgado a 17 de Fevereiro de 2012 às 13:48
Em três linhas, o Francisco faz o favor de nos presentear com:

Uma verdade cristalina. "mais desemprego, menos crescimento, mais empobrecimento". Tudo de acordo com o master plan do governo, portanto. Com especial ênfase na parte do empobrecimento do país e dos piegas que o habitam.

Uma confusão. "o governo tem feito o oposto". Mau, então, mas não era o governo que se vangloriava - e sem que isso fosse nenhuma cruz - por ir mais além do que era exigido pela troika (e com os resultados que estão à vista)?

Um momento de humor. "este desemprego é resultado do governo anterior". Uma tirada de fazer inveja ao eloquente Duarte Marques. Então, e a opção política de ir mais além do que a troika? De carregar no clima recessivo? De diminuir a procura interna? De penalizar a restauração? De recomendar aos portugueses que emigrem? Da estratégia de crescimento assente na pura crendice de que isto há-de melhorar quando estivermos todos na miséria, se deus quiser? De que governo estamos a falar?


De Francisco Teixeira a 18 de Fevereiro de 2012 às 22:33
André leia diario economico de 17 de Maio de 2010. Luis Amado disse tudo. (acho que o Duarte Marques não teve qualquer influencia). Eu subscrevo na integra Luis amado. Infelizmente a realidade também. Nao tenho recorte da entrevista. Mas a paula terá. Abc


De André Salgado a 19 de Fevereiro de 2012 às 02:31
Dessa entrevista, guardo, de memória, duas ideias chave: a defesa de um limite constitucional ao défice (de que discordo, com todo o respeito pelo dr. Amado) e que seria um erro abrir uma crise política (que subscrevo, como o futuro nos veio a revelar e com nefastas consequências para o país). Não sei se a Paula guardou o recorte, sei que o editor de política do DE achou pouco interessante fazê-lo. Pelo que lhe devolvo a bola, em função do que escrevi: meaning?


De Francisco Teixeira a 19 de Fevereiro de 2012 às 09:11
Portugal não se pode dar ao luxo de não ter um entendimento político alargado sobre as reformas chave...temos de gastar menos e melhor porque a Europa e o euro não mais aguentam quem gaste à tripa forra


De josé neves a 18 de Fevereiro de 2012 às 19:38
Caro,
De sí só saem exigências de subtilezas de seriedade da oposição? Onde andava o caro quando todos os males de Portugal eram apontados, pelos actuais seus amigos e governantes, como sendo de pura exclusividade de Sócrates?
Venderam a ideia que caído o governo o mel e a fartura escorriam por via da ciência política de passos, relvas, catrogas e cavacos e o que se vê. Que enxerga o caro nesta altura sobre o agudizar em aceleração de todos os indicadores do estado económico e das famílias?
Um governo à frente de um povo com oito séculos vem propor ao mesmo povo o empobrecimento? Acha que isto tem pés e cabeça? A solução e via única é empobrecer e levar a classe média ao tapete? E depois renasce das cinzas?
O outro governo gastou milhões para segurar indústrias e relançar a economia com aposta em inovação e novas técnicas. E o que faz este governo de senão impôe a troika à força e em dose reforçada?
E acha que o falso beato pp vai vender algo e fomentar as exportações? Se isso se fizesse com palavras estudadas era um ás mas para isso é preciso ter crédito de honestudade política e saber relacionar-se e criar empatia com os compradores: Alguém vê pp, ppc ou cavaco a criar essa empatia com algum país que possa acrescentar as exportações?
Ainda estão vivendo das vendas de Sócrates e da Aicep e quando isso acabar é o desastre total na economia.
Vamos ver brevemente nun local próximo de sí.


Comentar post

Bernardo Pires de Lima

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Livros
- Blair, a Moral e o Poder

Jornais / Revistas
- DN
- The Majalla Magazine

Academia
- IPRI
Pedro Marques Lopes

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Rádio
TSF
- Bloco Central

Jornais
- A Verdade
- DN
Lei da bola

Televisão
- Eixo do Mal
- Produções Fictícias
Francisco Proença de Carvalho

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Televisão
Económico TV
- Conselho Consultivo - 3ªs, 9.30h,

Rádio
Rádio Europa
- Descubra as Diferenças

Outros Blogs
- 31 da Armada
Francisco Teixeira

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Jornal
- Diário Económico

Academia
- ISCSP
posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds