Terça-feira, 9 de Julho de 2013

Elogiar amigos não é algo que contribua para a credibilidade pública dum cidadão. A amizade, como o amor, tem o defeito ou a qualidade de nos alterar a capacidade de julgamento. Na esmagadora maioria das vezes o facto da nossa visão estar condicionada pela amizade é uma gigantesca sorte. A amizade é um valor tão forte e faz-nos tão bem que vale bem a perda de alguma racionalidade. Por outro lado, há poucos assuntos que valham o esforço supremo da frieza sentimental. Mas não era sobre isto que estava para aqui a pensar com os meus botões e com a música da Meneses da Radar.

Li o artigo do Bernardo e lembrei-me doutro do Pedro Adão e Silva em que ele apelava a uma espécie de coligação de homens de boa vontade que nos ajudasse a sair deste gigantesco buraco de miséria em que estamos metidos. Miséria material e moral, digo eu. Não falta quem berre aos quatro ventos que falta gente de valor. E de valores, volto a dizer eu. Mas eu digo que há e, graças aos deuses e a essa agora amaldiçoada democracia portuguesa que os educou, não são poucos os homens de valor e valores. E estão em todo o lado: nas universidades, nas empresas, no Estado e em mais umas dezenas de eteceteras.

Agora era a parte em que escreveria que o Bernardo era desta ou daquela área política, e o Pedro era doutra, ou que o Felizberto e o Sebastião não militavam no mesmo partido. Mas já não tenho paciência nem viço para essa conversa de circunstância, nem para explicar que os homens inteligentes e sérios (sérios, sérios, sérios) não se metem nem se deixam meter em trincheiras e muito menos para discorrer sobre o facto de neste momento estar em causa a sobrevivência da nossa democracia e até da nossa comunidade.  

O que eu queria dizer mesmo é que há homens e mulheres de sobra neste país para defender e promover valores e conceitos como justiça, equidade, seriedade, dignidade, comunidade. Só falta mesmo atirarem-se para a frente. Nunca como hoje precisamos tanto deles. E eles andam aí.

 



publicado por Pedro Marques Lopes às 15:57 | link do post | comentar

Bernardo Pires de Lima

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Livros
- Blair, a Moral e o Poder

Jornais / Revistas
- DN
- The Majalla Magazine

Academia
- IPRI
Pedro Marques Lopes

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Rádio
TSF
- Bloco Central

Jornais
- A Verdade
- DN
Lei da bola

Televisão
- Eixo do Mal
- Produções Fictícias
Francisco Proença de Carvalho

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Televisão
Económico TV
- Conselho Consultivo - 3ªs, 9.30h,

Rádio
Rádio Europa
- Descubra as Diferenças

Outros Blogs
- 31 da Armada
Francisco Teixeira

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Jornal
- Diário Económico

Academia
- ISCSP
posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds