Sábado, 23.02.13

O Público de hoje traz um excelente trabalho sobre este e outros assuntos que andam a perturbar, digamos assim, a Igreja Católica.
Nada de novo. Para quem quem acompanha a vida da instituição apenas o facto de só recentemente se falar dos profundos problemas da Igreja Católica é surpreendente.
Muito dinheiro, muito poder, muita vontadinha reprimida, muitos partidos, muita opacidade, muita impunidade, cedo ou tarde tinha que dar disparate. É a vida, são os homens



publicado por Pedro Marques Lopes às 15:56 | link do post | comentar

Terça-feira, 19.02.13

Há uma parte desta notícia que me deixa inquieto:  João Palma era contra a Cândida Almeida no DCIAP. Só espero que quem tome conta do departamento não seja do agrado de João Palma. Pelo menos essa vantagem Cândida Almeida tinha.



publicado por Pedro Marques Lopes às 02:26 | link do post | comentar

Segunda-feira, 18.02.13

Mateus 4:1, 3-4 “Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo Diabo. … Chegando, então, o tentador, disse-lhe: Se tu és Filho de Deus manda que estas pedras se tornem em pães”.

E por aqui se prova que o Lúcifer além de velho é burro. Como é evidente Jesus deve ter encolhido os ombros e suspirado: “Grande asno, ainda se fosse transformar estes calhaus em três raparigas de amplos seios, longas pernas e dezanove protuberantes primaveras, umas garrafas de Dom Perignon, uma Perdiz de escabeche, três embalagens de Viagra, um concerto dos Smiths e dois cafés mais um Balvenie, vá que não vá. Agora, pão ? Por amor do Paizinho... milagres, sim senhor, estou disponível, mas tem de ser uma coisa como deve ser.”

É por estas e outras que Jesus construiu uma Igreja como deve ser, com sucursais espalhadas pelo mundo todo, palácios em tudo o que é sitio, um património que não caberia em mil museus, e o bronco do mafarrico ficou a ver navios com uns totós que acendem velas em bermas de estradas e degolam galinhas pretas.

Era perguntar a um cidadão: “olha , filho, queres ser líder da igreja, viver numa barraca num bairro da lata de Roma, comeres sopa e pão preto todo o santo dia, andar com uma túnica, sandálias, meias esburacadas e nadinha de coisa e tal ?”

Agora se lhe disserem: “pronto, sexo está fora de questão, mas tens um palácio para o dia a dia de esverdear de inveja o Bill Gates, um carro com o teu nome, o mundo inteiro a querer dar-te beijos no anel (pois, no anel é o que se pode arranjar), um lugar no camarote presidencial em todos os estádios de futebol do mundo e um hole in one de vez em quando (esta parte é só para candidatos a papa de especial bom gosto)?

É por estas e outras que nunca percebi por que diabo se associa a tentação a coisas más. Um tipo pode ficar gordo por comer demasiados hamburguers ou feijoadas à transmontana, ficar com o fígado debilitado por beber aniz ou Barca Velha, perder a cabeça por um camafeu ou pela Soraia Chaves.

A questão é e será sempre a mesma, estamos sempre a sacrificar qualquer coisa. As tentações não passam de opções. Estamos sempre a fazê-las: levantamo-nos ou não da cama, comemos ovos ou muesli, damos um beijo ou um pontapé no chefe, matamos o tédio ou o fígado, fazemos o que gostamos ou queremos um Clio dos novos. Fará o estimado leitor o favor de acrescentar uns volumes com outras escolhas. 

Vivemos de tentação em tentação, o desafio é escolher a tentação certa.


(da Life de Janeiro)

 

 

 



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:37 | link do post | comentar

Domingo, 17.02.13

Todas as medidas que foram sendo tomadas e que vão continuar a ser terão sempre este tipo de consequências. No fundo, o Governo acredita que destruindo o actual tecido económico, provocando a maior recessão da nossa história recente, atirando milhões para o desemprego, dum momento para o outro e duma forma radical, resultará num país novo, dinâmico, exportador, empreendedor. Sem preguiçosos e sem os mandriões que viviam à custa dos subsídios de desemprego e dos rendimentos de inserção.


DN de hoje



publicado por Pedro Marques Lopes às 18:08 | link do post | comentar

Quinta-feira, 14.02.13


publicado por Pedro Marques Lopes às 22:05 | link do post | comentar

Quarta-feira, 13.02.13

O Pedro Adão e Silva trancreve no blog dele parte do artigo do Ricardo Sá Fernandes. Com a devida vénia e assinando por baixo tanto o artigo como o título que o Pedro escolheu também aqui o ponho.

 

"(...) Tudo se resume, pois, às declarações incongruentes de alguns jovens que, alimentados por uma imprensa sedenta de escândalo, uma provedora deslumbrada e investigadores malévolos, inventaram uma história inverosímil, na qual três juízes descortinaram alguns segmentos daquilo a que chamaram "ressonância de veracidade" (sic).
Foi neste contexto que, durante o julgamento, se tornou decisivo confrontar essas alegadas vítimas, verdadeiros impostores, com o que haviam dito durante o inquérito, de forma a evidenciar a flagrante contradição das duas narrativas. Por exemplo, os locais dos abusos de Cruz - Av. Forças Armadas e Elvas - começaram por não existir aquando do início das denúncias, aparecendo mais tarde à medida da sincronização de versões antagónicas até à reconstituição de um quadro aparentemente credível.
Todavia, o elementaríssimo direito da defesa de confrontar os impostores com o percurso do seu discurso anterior ao julgamento esbarrou com a oposição deles próprios, assistentes no processo, porque a lei portuguesa o impede sem a sua autorização (!). Não se duvida que o acesso às declarações prestadas em inquérito deve ser excepcional e estar condicionado a "filtros" mais ou menos apertados. Mas é intolerável que não se consagre uma "válvula de escape" que, no limite, quando for crucial para os interesses em presença, assegure a supremacia do princípio da verdade material. Como se verifica em todo o mundo civilizado (da Espanha à Alemanha, da Itália aos EUA, etc., etc.).
Porém, em Portugal, o inacreditável ocorreu. Para o Tribunal Constitucional, nesta matéria, o princípio da imediação vale sempre mais - em qualquer situação, aconteça o que acontecer - do que o apuramento da verdade e o exercício da defesa, em benefício da qual nenhuma ponderação de interesses pode ser observada. (...)"



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:34 | link do post | comentar

Segunda-feira, 11.02.13

Ainda o segundo melhor álbum da história da pop (o melhor é o Queen is dead)


publicado por Pedro Marques Lopes às 19:33 | link do post | comentar

Domingo, 10.02.13

Como era previsível há um enorme consenso no PS em redor dum documento que daqui a meia dúzia de dias ninguém se lembra.
Costa fez um gigantesco favor a Seguro: provoca a sua relegitimação, torna-o inamovível e abafa outras alternativas na oposição interna. É um verdadeiro homem do aparelho.
É a vitória final do Relvismo. Primeiro o PSD, agora o PS.



publicado por Pedro Marques Lopes às 12:26 | link do post | comentar

Sábado, 09.02.13

Um grande abraço ao infeliz que para sustentar a família tem de injuriar e difamar. Por aqui as fontes continuam a jorrar leite e mel.
Os rafeiritos ladram e a caravana passa e prospera. Longa vida aos pulhas que se roem de inveja. É bom saber da raiva deles.
Eh pá, nem mereces que diga o teu nome, nem que te cuspa quando te vir.   



publicado por Pedro Marques Lopes às 18:42 | link do post | comentar

Quinta-feira, 07.02.13

Pronto, estão descobertas as razões da crise. As pessoas desatam a fazer abortos e a casar dentro do mesmo sexo, isso leva-as logo a viver acima das suas possibilidades. Entretanto, os bancos começam a disparatar e a fazer vigarices horríveis, o euro começa a ir a bares gay e os mercados a mandar o mulherio abortar em vez de irem ao cinema. Tudo isto gera a desagregação social que leva à crise.




publicado por Pedro Marques Lopes às 20:44 | link do post | comentar

Segunda-feira, 04.02.13

Estes espanhóis lembram-se de cada uma, imagine-se, construtores a financiar ilegalmente campanhas de partidos?

Querem ver que também há contabilidade paralela?  Que jantares, viagens, carros, prendas, aparecem milagrosamente pagas? São mesmo imaginativos estes castelhanos.Só faltava mesmo terem uns tipos que andam com malas cheias de notas.  

E ainda dizem que em Portugal está tudo mal. Cá não há nada disso.



publicado por Pedro Marques Lopes às 18:34 | link do post | comentar

Sexta-feira, 01.02.13

Não há dúvida que até a semântica deste Governo é parecida com a do PREC. Será que alguém pode explicar a esta gente que irreversibilidade não rima com democracia?
Que as nacionalizações também eram irreversiveis?
Não há quem lhes dê umas pinceladas da nossa história recente?



publicado por Pedro Marques Lopes às 00:54 | link do post | comentar

Quinta-feira, 31.01.13

O pior ressabiado é o ressabiado armado ao pingarelho.



publicado por Pedro Marques Lopes às 13:15 | link do post | comentar

Segunda-feira, 28.01.13


Este senhor é o candidato à Câmara Municipal de Matosinhos pelo PS. Num outro video que anda para aí a circular, António Parada defende o fim do ensino obrigatório e defende que quem não se porta bem deve começar a trabalhar aos catorze anos.

Talvez a direcção do PS ache as opiniões dum candidato a uma das principais câmaras do país desprezíveis, ou talvez este senhor seja importante para a direcção do PS e não o queria confrontar. Por mim gostava de saber o que o PS acha das opiniões deste cidadão.


publicado por Pedro Marques Lopes às 16:21 | link do post | comentar

Regressamos aos mercados não por causa das políticas do Governo e da troika, mas apesar delas. E se o Governo e a Europa não perceberem isso, aquilo que é em si mesmo uma excelente notícia pode transformar-se num pesadelo ainda maior do que aquele que estamos a viver.


DN de ontem



publicado por Pedro Marques Lopes às 16:15 | link do post | comentar

Segunda-feira, 21.01.13

No Facebook: “morreu-me um parente próximo”.

135 amigos gostam disto.



publicado por Pedro Marques Lopes às 18:32 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.01.13

A bem da dignidade da pessoa humana, eu pessoalmente espero que ninguém invoque as regras da Chantam House para o que se passou com os jornalistas nesse extraordinário evento em que se está a escutar a sociedade civil.  A desculpa não seria patética, seria insultuosa.



publicado por Pedro Marques Lopes às 19:54 | link do post | comentar

O Dr. Moedas e da Dra. Galvão, diz que por impulso do Primeiro-Ministro, organizaram uma conferência de nome “Pensar o futuro – um Estado para a sociedade”. O objectivo é escutar a sociedade civil.

O evento não se distinguiria nem pela originalidade temática nem pelos oradores convidados. Digamos que não estou a ver Vítor Bento a surpreender-nos nem o General Garcia Leandro a apresentar uma ideia que reinvente a roda.

Mas não há nada que este Governo faça ou promova que, pelo menos, não nos surpreenda. Infelizmente, não pelos melhores motivos.

Então não é que a dita conferência para escutar a sociedade civil não é aberta à comunicação social? Melhor, os jornalistas podem estar presentes mas não podem relatar o que lá se passar. Será entregue um documento elaborado pelo Governo no final do evento com as principais conclusões que depois os media poderão reproduzir. Genial. Os jornalistas podem ouvir o que lá se passa mas apenas podem publicar o que o Governo lhes disser. Isto dantes tinha um nome, mas não me lembro agora qual.

E, pronto, temos uma conferência para escutar a sociedade civil onde a dita não pode participar e as conclusões terão de ser filtradas pelo Governo. É ou não uma originalidade? Bom, se calhar não.


(parece que a ideia de "controlar" a comunicação veio da dra. Galvão. O especialista em comunicação social que a ensinou não lhe transmitiu os truques todos.)

 



publicado por Pedro Marques Lopes às 11:53 | link do post | comentar

Domingo, 06.01.13

O pior que podia acontecer era termos um Governo a culpar o Tribunal Constitucional ou a própria Constituição por não conseguir implementar as medidas que acha certas. Se assim for não estaríamos só perante uma afronta ao Tribunal ou uma simples manobra de vitimização. Era muito mais grave: teríamos o primado da lei em causa. Era o próprio Estado de direito que o Governo estaria a atacar.


DN de hoje



publicado por Pedro Marques Lopes às 16:35 | link do post | comentar

Terça-feira, 18.12.12

Ouvi um amigo meu a fazer a lista das suas músicas de Natal. Também me apeteceu. Aí vão as primeiras cinco.

 

Edith Piaf  "Le Noel de la Rue"

 

João Gilberto "Presente de Natal"

 

Ryuichi Sakamoto "Merry Christmas Mr. Lawrence"

 

Tom Waits "Christmas card from a hooker in Minneapolis"

 

Chico Buarque "Tão bom que foi o Natal"



publicado por Pedro Marques Lopes às 22:09 | link do post | comentar

Um tipo espera um ano e tal, escreve o que toda a gente disse, e convence as pessoas que descobriu a pólvora.

Aparentemente resulta.Vivendo e aprendendo.



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:39 | link do post | comentar

Qualquer das hipóteses é, digamos, perturbante. Mas muito grave seria o primeiro-ministro ter mentido deliberadamente para atingir adversários políticos aproveitando o facto das pessoas estarem a passar dificuldades apontando-lhes uns malandros supostamente ricos. Uma intriga é grave, uma intriga populista ainda é pior. 

O primeiro-ministro vai esclarecer, com certeza.


Dinheiro Vivo de hoje



publicado por Pedro Marques Lopes às 13:18 | link do post | comentar

Domingo, 16.12.12

Isto de se andar a elogiar o inefável Álvaro é a gozar, não é? Ou será que está, de facto, tudo doido?



publicado por Pedro Marques Lopes às 21:50 | link do post | comentar

Tem havido demasiada gente a pactuar com as constantes quebras de sigilo nas investigações e a embarcar em julgamentos na praça pública.


Dn de hoje



publicado por Pedro Marques Lopes às 14:46 | link do post | comentar

Terça-feira, 11.12.12

E os freedom fighters, os combatentes pela liberdade de expressão de branco vestidos que garbosamente se manifestaram em frente à Assembleia da República, quando se vão manifestar?



publicado por Pedro Marques Lopes às 18:30 | link do post | comentar

Segunda-feira, 10.12.12

Escutas em directo no telejornal. Processos em segredo de justiça debatidos em horário nobre. Histórias de velhinhas violadas no Prós e Contras. Um qualquer triste e invejoso pulha a difamar e a inventar histórias sobre pessoas a troco dumas festinhas na bronca cabeça. Abaixo assinados a favor de qualquer disparate. "Notícias" a pedido. Taxistas a debitar ódio. Lindo, vai ser lindo.



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:46 | link do post | comentar

Domingo, 09.12.12

Entende-se que alguém que partilhou a gestão do Benfica com Vale e Azevedo esteja preocupada com a criminalização do enriquecimento ilícito. Já se entende pior que uma Ministra da Justiça resolva mostrar um desprezo absoluto pelo Tribunal Constitucional e insista numa lei estúpida, até na sua própria formulação, e violadora dum principio fundamental do Estado de Direito.



publicado por Pedro Marques Lopes às 19:35 | link do post | comentar

Mas, a quem não interessa a completa transparência da propriedade dos órgãos de comunicação social? Quem são as pessoas que querem mandar em órgãos de comunicação social mas não querem dar a cara, sobretudo numa altura em que é previsível uma mudança de cenário e de actores no sector? Quem não quer que se saiba quem manda nos media? Quem foi a pessoa que deu a ordem aos grupos parlamentares para votarem neste sentido? Qual o seu interesse? O da defesa da liberdade de imprensa e da transparência não é de certeza absoluta.


DN de hoje



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:22 | link do post | comentar

Segunda-feira, 03.12.12

Um Ministro que recita o seu livro aos parceiros sociais, secretários de Estado que aparecem com propostas de boca sem sequer trazerem um papelito, um PM que diz coisas sem sentido – esta história da educação é digno dum sketch dos Monthy Pyton - ou fala de refundação sem a mais pequena ideia do que quer fazer etecetras e mais etecetras e mais etecetras e ainda mais etecetras, TSU, meia hora de trabalho a mais, conselhos de sábios, orçamentos inconstitucionais, surpresas orçamentais, e mais uns tantos etecetras, e esta beleza de história da RTP.

Era para se privatizar um canal, depois dois, as rádios não, a rtp2 acaba. Não, agora concessiona-se e acaba-se com a 2. Não, agora é só vender 49%.   

Diz que é um governo.  



publicado por Pedro Marques Lopes às 16:44 | link do post | comentar

Domingo, 02.12.12


publicado por Pedro Marques Lopes às 21:58 | link do post | comentar

Bernardo Pires de Lima

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Livros
- Blair, a Moral e o Poder

Jornais / Revistas
- DN
- The Majalla Magazine

Academia
- IPRI
Pedro Marques Lopes

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Rádio
TSF
- Bloco Central

Jornais
- A Verdade
- DN
Lei da bola

Televisão
- Eixo do Mal
- Produções Fictícias
Francisco Proença de Carvalho

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Televisão
Económico TV
- Conselho Consultivo - 3ªs, 9.30h,

Rádio
Rádio Europa
- Descubra as Diferenças

Outros Blogs
- 31 da Armada
Francisco Teixeira

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Jornal
- Diário Económico

Academia
- ISCSP
posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds