Terça-feira, 23.11.10

Para além dos cuidados redobrados da organização da Cimeira da NATO em não cruzar as comitivas da Geórgia e da Rússia, há imprevistos que fogem a qualquer protocolo. Um deles foi o encontro entre Medveded e Obama: delegações que se cruzam e os dois presidentes, sem agendamento prévio, trocam impressões durante vinte minutos a sós e sem tradutores por perto. Sarkozy, esse, teve de esperar mais do que estava previsto para se encontrar, com agendamento prévio, com Medvedev. O terceiro contemplado nos encontros bilaterais russos foi Hamid Karzai.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 15:32 | link do post | comentar

Sábado, 20.11.10

Se o Tratado de Washington perdura desde 1949 só com 14 artigos, as 11 páginas do novo conceito estratégico fazem crer que se pode ultrapassar a próxima década com a mesma credibilidade.

 

Hoje no Diário de Notícias

 

ps. Vou tentar escrever qualquer coisa nos próximos dias sobre os três dias que passei na Cimeira da NATO. Agora vou dormir até 2ª e nem a Taça de Portugal me vai tirar da cama.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 22:28 | link do post | comentar

Quinta-feira, 18.11.10

O mundo está demasiado perigoso e imprevisível para que democracias possam prescindir de capacidades militares e de alianças com sucesso.

 

Hoje no Diário de Notícias


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 10:57 | link do post | comentar

Segunda-feira, 25.10.10

A recente cimeira do G20 em Seul mostrou que a ordem internacional está a ser redefinida através dos equilíbrios económicos. Os propósitos dos países emergentes focaram-se na alterção, em seu benefício, da ponderação de voto no FMI, uma forma de reformar uma instituição através do poder que hoje em dia efectivamente têm (reparem que há quase uma desistência global para reformar o Conselho de Segurança).

O que isto significa é que os equilíbrios estão a ser feitos não nos fóruns políticos em sentido estrito, ou nos fóruns militares em sentido clássico, mas nos fóruns económicos e financeiros, onde as potências emergentes têm uma capacidade de impor posições com clara naturalidade. Este raciocínio encerra duas conclusões: primeiro, poder económico vai implicar investimentos militares - como já está a acontecer na China, Índia e Brasil, ou na diversificação de mercados, como a Rússia em relação à América Latina e Médio Oriente -; segundo, implicarão respostas desejavelmente concertadas das potências tradicionais, como as europeias e norte-americana. As cimeiras da NATO e UE-USA em Lisboa merecem, por isso, atenção. 

Aparentemente, a economia está determinada a abafar os debates político e de segurança internacionais. Mas é apenas uma aparência: o poder tem múltiplas dimensões e aqueles que estiverem melhor apetrechados em todos os seus domínios serão mais capazes de liderar.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 22:14 | link do post | comentar

Quinta-feira, 30.09.10

The greater Middle East represents a big challenge for the Atlantic Alliance. Afghanistan, Iraq, Iran’s nuclear ambitions and the Israeli-Palestinian conflict, are all issues of great concern for the allies. The question is: Does NATO have the right approach to deal with all these different scenarios?

 

Do meu artigo deste mês na Majalla Magazine.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:47 | link do post | comentar

Sexta-feira, 20.08.10

Recently, American diplomats and military men invoked the constant tensions in the Middle East, namely the Israeli-Palestinian quagmire, as a source of radicalization feeding, at least morally, the Taliban insurgency in Afghanistan, and consequently creating more problems for US and NATO troops on the ground. The logic behind this linkage is the following: It is impossible to look at the Afghan theater without highlighting the importance of stabilization across the Middle East. Apparently, from promoting defense reform and sound civil-military relations to preventing nuclear proliferation, NATO members have more interest in this region than in any other. Is this really the case?

 

Começa assim o meu artigo na Majalla deste mês.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 00:12 | link do post | comentar

Quarta-feira, 30.06.10

Por que é que a estratégia de contra-insurreição desenhada por Petraeus não está a dar os resultados esperados? Sobretudo porque política e economicamente existe uma falta de acompanhamento às campanhas militares. Vejamos. Para que a estratégia tenha resultados são precisos sobretudo seis grandes condições: um controlo efectivo das fronteiras, um grande número de tropas no terreno, um apoio dos grupos étnicos maioritários, um compromisso duradouro entre o exterior e o estado em construção, um governo local credível e coesão político-militar nos EUA. Já percebemos que poucas ou nenhumas destas condições estão a ser cumpridas. A esmagadora maioria das províncias tem hoje governos-sombra, a autoridade de Karzai para negociar localmente está na rua da amargura, as verbas da NATO e do Congresso são cada vez mais difíceis de obter, compromissos políticos dos governos com tropas no Afeganistão estão reféns da coragem dos seus líderes, a economia do ópio não é combatida regionalmente como deveria e a fragilidade do cabinet war de Obama está em claro défice de confiança depois da entrevista do general McChrystal. David Petraeus conseguiu que a surge no Iraque fosse muito mais um sucesso para a América do que para os iraquianos. Se conseguir fazer o mesmo no Afeganistão já não será pouco.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 16:49 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.04.10
Um outro ponto a ter em conta diz respeito aos mecanismos de responsabilização dos aliados que não cumpram os preceitos acordados no conceito estratégico da NATO. Dir-me-ão que o documento tem um alcance específico. De acordo. Mas isso não significa que esse mesmo alcance tenha que estar esvaziado à partida. Haverá algum tipo de “punição” para quem sistematicamente se esconder face aos compromissos assumidos por consenso neste documento?

tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 11:06 | link do post

O assunto nunca foi pacífico, mas não deixa de estar novamente no debate estratégico da NATO: que relação deve ser estabelecida com a Rússia. Por um lado, continua a existir uma percepção de insegurança em muitos aliados face a Moscovo. Por outro, a complexidade das ameaças e a presença da Rússia em muitas matérias de segurança euro-atlântica, tornam relevante o estabelecimento de um novo patamar bilateral.
Este conceito estratégico que sairá da Cimeira da NATO em Lisboa deve, em primeiro lugar, vincar a prevalência do Artigo V, dando corpo normativo a uma solidariedade interna na Aliança que não tem vivido (em boa verdade, nunca viveu) tempos de acalmia. Além disso, devemos ser capazes de colocar no debate a melhor forma da NATO colocar as questões a Moscovo, abrindo-lhe a porta da adesão – pondo-lhe pressão no cumprimento dos critérios e afirmando uma disponibilidade para dialogar que esfrie a tensão para futuros alargamentos -, ou mantendo-a numa parceria estratégica especial.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 10:03 | link do post

Quinta-feira, 22.04.10
A NATO fez mais nos últimos 15 anos do que nos 45 anteriores: alargou-se como nunca, esteve na Bósnia, no Kosovo, no Mediterrâneo, no Afeganistão, no Corno de África, combateu piratas, assistiu vítimas de catástrofes naturais e pela primeira vez na sua história viu ser invocado o Artigo V. Estabeleceu parcerias na Ásia, no Médio Oriente, com o Japão e Austrália. Podemos dar-lhe o mesmo nome, mas não confundi-la com o passado.

tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 18:01 | link do post

Quinta-feira, 01.04.10

Ontem, o Parlamento sérvio deu um passo importante na normalização do país. É assim, quando a memória persegue as nações e não as deixa avançar nas suas escolhas. Quais? A adesão à NATO e à UE. Toda a região dos Balcãs vais estar integrada nas organizações estruturantes do espaço Euro-Atlântico na próxima década e só aí será possível ultrapassar o passado demasiado negro que a envolveu. Não interessa agora as causas nem as consequências. Todos as conhecem. O que é relevante é a solução encontrada e escolhida. Se a NATO e a UE não derem as estes alargamentos a prioridade e a importância que eles merecem, não estão a cumprir o seu papel. Neste curto-médio prazo, qualquer ultrapassagem por outras regiões no dossier do alargamento é um erro. E cometer mais um começa a ser uma estupidez e um preço demasiado alto a pagar.


tags:

publicado por Bernardo Pires de Lima às 15:13 | link do post

Bernardo Pires de Lima

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Livros
- Blair, a Moral e o Poder

Jornais / Revistas
- DN
- The Majalla Magazine

Academia
- IPRI
Pedro Marques Lopes

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Rádio
TSF
- Bloco Central

Jornais
- A Verdade
- DN
Lei da bola

Televisão
- Eixo do Mal
- Produções Fictícias
Francisco Proença de Carvalho

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Televisão
Económico TV
- Conselho Consultivo - 3ªs, 9.30h,

Rádio
Rádio Europa
- Descubra as Diferenças

Outros Blogs
- 31 da Armada
Francisco Teixeira

ver perfil
ver CV
ver posts

O que ando a fazer

Jornal
- Diário Económico

Academia
- ISCSP
posts recentes

Diplomacia paralela

A NATO depois de Lisboa

A NATO num mundo perigoso

Aparentemente económico

Out of area, out of busin...

Out of area

Clonar Petraeus

Letra morta?

Russia in, Russia out

NATOS

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds