Segunda-feira, 31 de Agosto de 2009

 

Em meio século no poder o PLD conseguiu muito: ultrapassou o pós-guerra, esteve no grande milagre económico, no centro da bolha especulativa e assegurou a aliança com os EUA. Termina sob o manto do desemprego, perda de poder de compra, com uma divida pública astronómica e até alguns escândalos.
O PDJ propõe o milagre: aumentar salários, educação gratuita, maior independência dos EUA - um modelo semelhante ao europeu e até uma moeda única. Não sabe bem como o fará, mas prometeu. Por reconhecer que as eleições para a câmara baixa são um cartão vermelho ao PLD e não um voto de confiança ao seu programa? Por temer um ciclo político curto, com eleições para a câmara alta em 2010? Por saber que promessas em altura de desespero resultam melhor que dispositivos ideológicos? Se assim é, não estão sós.
 
Hoje no i


publicado por Bernardo Pires de Lima às 19:42 | link do post

posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds