Quinta-feira, 3 de Dezembro de 2009

 

Ao longo da campanha eleitoral, Obama dispôs-se a dar prioridade ao Afeganistão. Quando chega à Casa Branca decide enviar 20 mil homens para o terreno, conquistando o Congresso e a maioria dos norte-americanos. Hoje, os democratas torcem o nariz às despesas que aí vêm (mais 30 mil milhões em 2010), aos custos políticos das arriscadas acções militares, sempre com o horizonte eleitoral que os espera em 2010. Obama propõe, mas é o Congresso que decide.
O discurso de West Point assenta numa premissa clara: a guerra no Afeganistão é justa, legítima e do interesse nacional americano. Primeiro, por ser uma resposta a um ataque em solo americano; segundo, por ter reunido na sua origem um largo consenso interno e externo - no Congresso, na NATO e no Conselho de Segurança; terceiro, porque é a leitura desta administração – tal como a de Bush sobre o mesmo cenário – que a segurança dos EUA se defende no paraíso maior da al-Qaeda e do recrutamento extremista. Se o reforço militar se inspira no sucesso da experiência iraquiana (sendo dois países bem distintos), a verdade é que Obama pouco disse sobre a necessária estratégia civil (quem paga? quanto?) e sobre a vital cooperação com o Paquistão (em que moldes?). Terminado o calendário que finalmente traçou e garantido o número de tropas e polícias afegãos capazes de garantir os serviços mínimos, a declaração de vitória será audível ainda a tempo das eleições de 2012. E aí, Obama poderá, talvez, voltar a respirar de alívio. 
Hoje no i.


publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:48 | link do post

posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds