Quinta-feira, 15 de Abril de 2010



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:38 | link do post | comentar

Tentarei ser meigo desta vez. Parabéns a quem teve a brilhante ideia de adiar o jogo, sempre deu mais tempo para o Aimar descansar. Moutinho: "campo inclinado" é conversa de juvenis. Devias ser enviado para o Everton e passar uma boa época no banco para perderes a crista. Só falo de ti, porque és capitão e eu sempre admirei os meus capitães. Não é o teu caso. Mais, o Sporting chegou a um tal estado que me começa a irritar profundamente. Estou à vontade para falar, sou sócio há quase vinte anos, papei praticamente todos os campos deste país a acompanhar o clube, nunca deixei de pagar quotas, estive em oito finais do Jamor e em dois títulos ao vivo.  Primeiro, continua na sua mania de tratar adeptos e sócios da mesma maneira. Segundo, vejo demasiados engravatados nas bancadas e camarotes para considerar ir à bola. Começa a ser tempo de arranjar um porteiro à altura. Terceiro, é preciso fazer uma opção de fundo: ou se tem uma equipa de futebol para ganhar coisas de jeito (taças de Portugal e supertaças não contam) ou mais vale fazer 18 buracos e entregar o clube aos golfistas. São cada vez mais naquelas bancadas.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 00:00 | link do post

Quarta-feira, 14 de Abril de 2010

Continua a perseguição à Igreja Católica.



publicado por Pedro Marques Lopes às 21:39 | link do post | comentar

Tributar em 20% as mais valias bolsistas pode dar votos e popularidade a curto prazo. Só que para um mercado absolutamente marginal como o nosso, a consequência directa será a fuga de capitais e investidores para outras paragens. Ou seja – poupo-vos aos detalhes - , empobrecimento.



publicado por Pedro Marques Lopes às 17:22 | link do post | comentar

Cenários a 6 de Maio.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 16:57 | link do post

Hoje, no Edição Internacional da Renascença, estarei a debater com Nélson Pereira, correspondente da RR em Varsóvia, as consequências do acidente aéreo que vitimou as elites polacas e ainda os resultados da cimeira de Washington sobre proliferação nuclear.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 16:33 | link do post

A primeira conquista do novo START foi alcançada nesta cimeira: o compromisso da Ucrânia de desmantelar o seu stock de urânio enriquecido nos próximos dois anos. Não tendo uma ambição nuclear, Kiev também não deseja que os seus materiais cheguem ao mercado negro com destinatários pouco recomendáveis. Apesar das baixas expectativas da cimeira, existem duas ameaças consensuais entre a quase meia centena de Estados presentes: a proliferação nuclear entre Estados, identificável e com mecanismos mais directos de bloqueio; e a proliferação de planos, componentes e stocks nucleares a um nível não estatal, que encaixe nos objectivos do terrorismo contemporâneo. Este é o desafio mais complexo.

Ainda antes do 11 de Setembro, dirigentes da Al-Qaeda referiam a obtenção de armas nucleares como um "desígnio sagrado", dizendo que bastaria ter bons contactos no mercado negro da Ásia Central para as alcançar. Como sabemos, ninguém os levou muito a sério. Mas se a sofisticação tecnológica ajudar aos planos, a regeneração financeira emergir do narcotráfico e do crime organizado, com actuações periódicas e em simultâneo, destruindo maciçamente vidas e subvertendo por completo os avanços conquistados pelas democracias nas últimas décadas, então não estamos perante uma tragédia, assistiremos a uma calamidade. Nós podemos continuar a olhar para o nosso umbigo e para as nossas simpáticas vidas, mas se pensarmos uns segundos, nem elas nem o umbigo terão muito para contar se este cenário acontecer. Esta é a mensagem de Washington.

 

Hoje no i



publicado por Bernardo Pires de Lima às 10:59 | link do post

Segunda-feira, 12 de Abril de 2010

Eu esclareço, meu caro amigo.

Propostas como as que o Miguel Frasquilho fez, não me parecem que devam ser feitas sem a devida concordância da liderança do partido, particularmente quando se é vice-presidente do grupo parlamentar. Mais, medidas com a dimensão da que ele propôs, exigem, na minha modestíssima opinião, que sejam feitas pelo presidente do partido e muito bem explicadinhas.



publicado por Pedro Marques Lopes às 20:39 | link do post | comentar

Domingo, 11 de Abril de 2010
Eu também sou muito sensível a bons discursos políticos. Linguagem simples, a tocar as emoções, a empolgar as massas. Este consegue mesmo superar o de Passos Coelho que, na opinião do meu amigo Pedro Marques Lopes, foi dos melhores discursos que ouviu em toda a sua vida. O Pedro tem andado distraído.


publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:15 | link do post

De repente dei por mim a pensar como serão escolhidas as comitivas de empresários que acompanham o Presidente e Primeiro-ministro em visitas ao estrangeiro. É por concurso ou ajuste directo?



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:15 | link do post

Tenho ouvido falar de empresários em Portugal. Ando cá há pouco tempo, mas tenho dado pouco com eles.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 23:11 | link do post

 

 



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:42 | link do post

Sábado, 10 de Abril de 2010

Do pouco que estou a ver do Congresso dos Lombos (ainda há duas semanas lá joguei à bola) retenho pontos que para mim são extremamente importantes para o país. 1) Marco António Costa é claramente o homem do momento: ninguém o bate nos número de beijinhos às militantes; 2) José Luís Arnaut fala do "cidadão Cavaco Silva": há 30 anos que ninguém o conhece enquanto "cidadão"; 3) Há amizade, carinho e amor no ar do pavilhão: a política nunca foi isto, nem virá a ser; 4) Diogo Leite Campos foi a melhor aquisição deste PSD: estou a dizer isto sem ironia. 5) Qualquer congresso sem Santana Lopes, Fernando Costa, Alberto João e Castanheira Barros arrisca-se a não deixar saudades; 6) Vejo altos dirigentes criticar o "compadrio", o "nepotismo" e a "corrupção de Estado": críticas dirigidas aos socialistas, que essa badalhoquice nunca manchou a social-democracia tuga; 6) A Super Bock continua de parabéns: a aposta deve continuar a ser a mini e não aquelas rabetices dos sabores a pêssego.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 20:36 | link do post

A minha curta opinião sobre a morte do Presidente polaco.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 14:28 | link do post

 

Með suð í eyrum við spilum endalaust (2008)
Sigur Rós

 



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:55 | link do post

Sexta-feira, 9 de Abril de 2010

Voltou tudo ao normal.



publicado por Pedro Marques Lopes às 15:50 | link do post | comentar

Quinta-feira, 8 de Abril de 2010


publicado por Bernardo Pires de Lima às 22:17 | link do post

Quarta-feira, 7 de Abril de 2010

Pois



publicado por Pedro Marques Lopes às 16:10 | link do post | comentar

Não é que já não desconfiássemos, mas se houve coisa que as audições parlamentares sobre a liberdade de expressão mostraram claramente é que o jornalismo português vive uma profundíssima crise.



publicado por Pedro Marques Lopes às 15:58 | link do post | comentar

Os dados publicados nos últimos dias sobre compra e venda de armamento no mundo traçam um quadro curioso das actuais tendências. Há, no entanto, um país que salta à vista: a Grécia. Porquê? Primeiro, por continuar no top 5 dos importadores mundiais. Para um país desta dimensão e com os problemas orçamentais conhecidos, não deixa de ser uma posição que levanta algumas questões. Segundo, porque mais de 50% das importações vêm da Alemanha e da França. Ou seja, os dois maiores desbloqueadores da solução grega no Conselho Europeu são também os que mais têm contribuído para a singularidade de Atenas no quadro da NATO: quase 5% do PIB em defesa e o que não só mais gasta com pessoal nesta fatia orçamental como tem maior percentagem de população activa directamente ligada a esta indústria. A própria agência Fitch fez saber que a defesa contribuía para a pouca transparência e credibilidade e que o governo grego tinha também de actuar por aí.

Isto não menospreza a importância dos investimentos em defesa no quadro geopolítico internacional e na opção de sobrevivência política e estratégica europeia. O que questionamos é o nível permanente de investimento grego, sobretudo quando canalizado para a tensão cipriota com a Turquia e não para missões de segurança que deviam ser prioritárias. Terminar este conflito significaria maior racionalidade nos investimentos gregos e um dossiê fechado na adesão turca. Só que há aqui um pormenor: aparentemente, os alemães não querem que isso suceda, uma vez que são ao mesmo tempo os maiores exportadores de defesa para a Grécia e a Turquia. A tensão cipriota acaba por encaixar nos seus objectivos: deixar Ancara à porta e continuar a promover o potencial militar alemão, que cresceu 100% nos últimos cinco anos. É verdade que Berlim não faz mais do que regressar à grande arena política global, mas devemos pedir-lhe que assuma as suas responsabilidades na solução grega.

 

Hoje no i



publicado por Bernardo Pires de Lima às 10:32 | link do post

Terça-feira, 6 de Abril de 2010

Reparo agora que este blog faz hoje um ano. Um abraço ao Pedro por isso e por muito mais.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 21:09 | link do post



publicado por Pedro Marques Lopes às 12:47 |
editado por Bernardo Pires de Lima às 12:52link do post | comentar

Era um excelente negócio esquecer as contrapartidas e negociar um abatimento de 10% no preço dos submarinos. Ou seja, trocar 1200 milhões virtuais por 80 milhões reais.



publicado por Pedro Marques Lopes às 11:38 | link do post | comentar

Domingo, 4 de Abril de 2010

Sou apaixonado por cafés. Passo belas e ansiadas manhãs em cafés a ler jornais, revistas, catálogos do Aki, livros ou papelada que anda a monte lá em casa. Marcha tudo numa manhã de café e com cafés. A ouvir conversas laterais, raspanetes a crianças, indignados com a política, incrédulos com o mundo. Gosto de barulho quando leio. Talvez por isso seja sensível quando se faz silêncio. Não que o café esteja de repente vazio, mas porque mesmo cheio só revela silêncios entre casais sentados frente a frente. Entre eles só há um cinzeiro. Nada mais. Passam horas sem falar. Passaram anos sem comunicar. É das coisas mais tristes de ver. 



publicado por Bernardo Pires de Lima às 22:12 | link do post

Foi com grande sacrifício pessoal, qual Santana Lopes, que li alguma imprensa portuguesa nestes últimos dias, num claro misto de apatetização colectiva (individual foi certamente) e resignação: não pensem que é fácil ser confrontado com páginas inteiras sobre a saída de Nuno da Câmara Pereira do PPM.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 22:04 | link do post

Com que então o Sporting resolveu ajudar o benfica e adiar o derby para uma 3ª feira, ah? Bela palhaçada. Em vez de jogarem 24 horas depois do jogo com o Liverpool, resolvem ser amigos e ajudar à festa. Já acabaram com a rivalidade com o Porto, querem agora acabar com a que nos resta? Que tal acabarem de vez com o Clube e ficarem a brincar ao futebol na playstation e na bolsa? Neste momento ando a pensar se entrego ou não o cartão de sócio.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 21:54 | link do post

 

 



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:16 | link do post

Sábado, 3 de Abril de 2010

 

Jar of Flies (1994)

Alice in Chains



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:53 | link do post



publicado por Pedro Marques Lopes às 00:21 | link do post | comentar

Quinta-feira, 1 de Abril de 2010

Tenho alguns amigos sérvios. Também tenho alguns croatas e albaneses. Há claramente nos croatas uma cumplicidade connosco que não existe com os outros balcânicos. Mas isso não me faz desviar de uma ideia: a geração sérvia do pós-guerra é profundamente instruída e suficientemente preparada para assumir as responsabilidades. Os gabinetes dos ministros mais importantes estão cheios de gente dessa geração. O próprio ministro dos Estrangeiros, Vuk Jeremic é o seu exemplo máximo: tem apenas 35 anos. Eles querem fazer coisas bonitas, como dizia Artur Jorge, e estão à espera que os restantes europeus lhe concedam essas oportunidades. Não os devemos deixar de fora, nem confundir esta Sérvia com outras recentes. Eles agradecem, acreditem.



publicado por Bernardo Pires de Lima às 15:23 | link do post

posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds