Sexta-feira, 7 de Junho de 2013

Leio a resposta de Mia Couto à pergunta "O que pensa do acordo ortográfico?", hoje no ípsilon, e revejo-me totalmente nela:

 

"Já respondi a essa pergunta tantas vezes que deixei de pensar sobre um assunto que, para mim, é quase um 'não assunto'. Eu acho que perdemos uma oportunidade para debater assuntos que serão talvez mais sérios que o acordo ortográfico. Por exemplo: por que razão ainda nos desconhecemos tanto entre os países de língua portuguesa? O que podia ser feito para incentivar a circulação dos livros e das produções culturais?".



publicado por Bernardo Pires de Lima às 12:29 | link do post

posts recentes

"Não há bem que sempre du...

Não gosto de despedidas, ...

Au revoir

Fim

A questão alemã (II)

Dizia Amaro da Costa com ...

Razão e ambição

Autopunição

A Constituição

Sonho eterno

arquivos

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

tags

bernardo pires de lima

bpn

cavaco

francisco proença de carvalho

francisco teixeira

nato

pedro marques lopes

presidenciais

ui

uniao de facto

todas as tags

subscrever feeds